Wicca e os Orixás

Hoje vi uma pessoa perguntando por que se fala tão pouco dos Orixás na Wicca. Minha resposta foi: “porque eles estão sendo muito bem cultuados nas religiões de matriz africana.” E essa pessoa me respondeu: “se na Wicca podemos cultuar todos os panteões, qual o problema de se cultuar orixás?”

Todos os wiccanianos são pagãos. Isso quer dizer que todos temos uma espiritualidade centrada na terra, e que acreditamos em Deuses pré-cristãos. Existem muitas outras religiões pagãs que compartilham da mesma filosofia, e a Wicca é apenas uma dentre muitas. Se “todas as Deusas são uma Deusa”, qual o problema de querer cultuar orixás na Wicca?

Não há nenhum problema em ser pagão e manter devoção a orixás, que são deuses pagãos. Agora, uma coisa é manter uma relação devocional com esses Deuses, dentre tantos outros. Outra, é querer colocá-los como o grande foco principal da nossa prática de Wicca, e passar a praticar algum tipo de “Wicca dos Orixás”. Calma, não fique brave! Deixa eu explicar primeiro.

A Wicca é uma religião de bases europeias. Todo o nosso sistema ritualístico é construído com base em elementos que são europeus. Nossa Roda do Ano celebra 8 sabbats que tem uma mitologia completamente ligada aos Deuses da Europa. Nosso Círculo Mágico é dividido em quatro quadrantes e quatro elementos porque essa foi uma compreensão européia da natureza. Tudo isso dá para a Wicca uma “linguagem”, um jeito específico de se comunicar com o Sagrado. É como se cada religião fosse um idioma diferente, cujos rituais, símbolos, calendário fossem partes desse idioma, que são reconhecíveis para energias específicas.

Como poderíamos usar um sistema completamente europeu para se comunicar quase que exclusivamente com deuses iroubás? Consigo ver muito bem deuses pagãos de qualquer panteão do planeta num esbat, por exemplo (o que é uma prática muito comum ao redor do mundo), mas quando esses outros Deuses são trazidos para Sabbats, acho que precisamos pensar duas vezes. Para celebrar a Roda do Ano com os orixás, por exemplo, teríamos que escolher se vamos distorcer o Sabbat ou o Orixá. Vou dar um exemplo:

Vamos supor que nesse Samhain eu queira celebrar a Deusa como Nanã Buruque. Samhain é o Ano Novo dos Celtas, que para eles marcava o início do inverno, a noite em que os Ancestrais vinham para esse mundo para se encontrar com os vivos. Também era a terceira colheita do ano. Toda essa simbologia é completamente estranha para Nanã. Ela é uma Deusa que não está inserida nesse universo. Se eu quiser trazer essa Deusa para essa celebração, eu vou ter que ignorar totalmente quem é Nanã, porque na Wicca, Samhain é inclusive o Sabbat da Deusa Ceifeira, e Nanã nem de ferro gosta. Vamos distorcer a mitologia da Deusa para fazê-la participar do nosso ritual? Ou então vamos ter que ignorar tudo o que Samhain representa e reduzi-lo apenas a um “festival genérico para os mortos”, de modo a fazer sentido para essa divindade. Ela fala outro idioma. Uma coisa é ter sua devoção pessoal a algum desses Deuses. Tudo bem fazer isso, porque é uma espiritualidade pagã, não necessariamente wiccaniana. Outra coisa é querer focar a sua prática de Wicca nesses Deuses. É como tentar falar português com uma pessoa que mora na Polinésia – ela não vai entender nada. Pra me comunicar com uma pessoa da Polinésia, eu preciso usar o idioma de lá, o idioma que é reconhecido por aquela pessoa. O mesmo com os Orixás.

Se uma pessoa escolhe praticar Wicca, mas tem o centro da sua espiritualidade nos Orixás, ela precisa parar e pensar no porque está na Wicca. Porque celebrar orixás num sistema de rituais europeu é como tentar montar um quebra-cabeças com peças que não encaixam. Fazer uma Wicca dos Orixás para mim é como tentar fazer uma Wicca Cristã.

Acredite em mim, você vai se frustrar. A Wicca não tem a estrutura necessária para que você possa explorar a espiritualidade dos Orixás. É preciso um outro tipo de ritual, é preciso um outro tipo de vivência para alcançar a plenitude desse culto. Assim como não dá para levar a Deusa romana Diana para um terreiro e esperar que se faça um ritual apropriado para ela lá. Respeitem os Orixás. Respeitem a Wicca.

Provavelmente o que atrai essas pessoas à Wicca é a liberdade de poder ter seu próprio culto sem precisar se submeter a terreiros, pais de santo, etc. É ter acesso direto aos Deuses, sem precisar das instituições religiosas. Mas veja, essa não é a melhor solução, porque a Wicca é um sistema limitado para se comunicar com esses poderes. A Wicca não é só um sistema de rituais para se cultuar qualquer divindade. Ela tem suas bases mitológicas específicas, como toda e qualquer religião. Nenhuma religião possui a verdade absoluta. Nenhuma religião é para todas as pessoas, assim como nenhuma religião é para todos os Deuses.

Texto original por Flávio Lopes, bruxo, sacerdote wiccano, paulistano, amante de chocolate, de manhãs quentes, de abelhas e livros.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s