A Grande Senhora Tana

Tana é uma Deusa italiana cultuada na Strega e na tradição Feri, na Aridiana e na Ariciana.

Tana é uma Deusa-Estrela que contém em si toda a criação. Ela é a explosão primordial, o boom da criação, o fogo divino que tudo forma. Ela também é a energia por trás das 4 faces da lua (nova, crescente, cheia e minguante).

Por ser o poder explosivo de todo o fogo, seja na menor chama de vela, em um fogaréu devastador, ou nos processos nucleares no coração de cada estrela, ela é uma ótima Deusa para se trabalhar novos começos assim como para pedir transformações em todas as fases da vida pois até mesmo as estrelas nascem, crescem e morrem. Ela é a potência geotérmica no centro da terra, bem como o calor e a adrenalina em nossos corpos.

.

Etruscos

Para os antigos etruscos, povo que viveu na península Itálica, em sua antiga religião, Tana era uma Deusa lunar que continha em si quatro aspectos. Como a lua nova, ela era Diana, a deusa virgem Donzela, aventureira e ousada. Como a lua cheia, ela era a Grande e Redonda Mãe Losna. Como a lua minguante, ela era Manea, a Deusa dos espíritos noturnos e das almas que partiam. E, como a lua escura, ela era Umbrea, Deusa do submundo, detentora de sombras e segredos e todas as coisas escondidas.

Feri

Para a Tradição Feri, ela é vista como uma Deusa do Fogo e representante do quadrante Sul.

Ela aparece como fogo líquido, às vezes lava derretida, mas, em outros, simplesmente é plasma de forma líquida. Às vezes, ela aparece como relâmpago, fazendo a ligação do céu com a terra.

Ela muitas vezes dança selvagem, extática, com faíscas e chamas saltando de sua aura ardente enquanto se move.

Ela traz mudanças, já que o calor pode causar mudanças químicas nos objetos (como no alimento cozinhado ou as características de mudança das pedras quando expostas a temperaturas mais altas enquanto se formam) ou traz até mesmo a destruição completa (como uma floresta ou edifício que queima até as cinzas em um incêndio furioso).

Aridiana e Ariciana

As Tradições Aridiana e Ariciana, criadas por Raven Grimassi, focalizam-se na Deusa Tana e no seu consorte Tanus. Também é possível encontrar alguns textos sobre a Descida da Deusa onde Tana é a protagonista do mito.

.

Strega

Na Strega ela é vista como consorte de Tanus, um Deus estelar . Ela é a Deusa-Estrela, poderosa e universal. Alguns dizem que Fana, a Deusa da Terra, da vida silvestre, das florestas e da fertilidade e Jana, a Deusa da Lua, são aspectos de Tana, a primordial.
O dia de Tana é celebrado no dia 1 de maio, dia em que ela retornou às Filhas Escondidas depois do tempo no Submundo.

 

Evolução Histórica

Tana é vista como a Deusa original da lua, a mãe, a deusa da inspiração e do amor incondicional dos povos etruscos do início da Roma. Tana foi vista como jovem e bela no início da civilização etrusca, mas, à medida que a civilização envelhecia, Tana também acabou se tornando uma “Grande Mãe” e sendo substituída por uma jovem e linda Diana no auge da cultura romana.

Di-ana (que significa “duas mães:) era uma contradição naquela cultura, sendo ao mesmo tempo virgem e mãe intocada, não conquistada, solteira. De onde isso veio pode ser esclarecido pela própria Tana. O amante de Tana e o amigo de Belové foram “amaldiçoados” de modo que ela só dormiu e sonhou. Seu único tempo com ele estava em seus sonhos. Ela se tornou intocada pelo universo manifesto. Seu único companheiro estava no plano astral, um Deus do éter e do espaço.

À medida que essas pessoas se moviam para o oeste, a Deusa envelheceu, tornando-se a avó. Entre os Pictos, os antigos habitantes da Escócia, ela era Domnu, uma velha, sábia, Deusa da Inspiração. A variante galesa desta era Don, mãe de Arianhod (uma figura muito Diânica). A segunda migração dos celtas a chamou de Danu. A constante migração dos povos europeis fizeram seu nome variar entre D’Ana, Ana, Anna, Anu. Mas com características sempre semelhantes às descrições entre Danu e Tana/Diana.

É notável, ainda sendo uma deusa de inspiração, maior amor e sabedoria – a única diferença no processo de envelhecimento natural que até uma Deusa teria. Ela é uma “Deusa do Povo”, maternal e um objeto de amor e respeito como se daria a sua amada mãe e avó.

De forma semelhante à Tara Hindu, ela forma a base de um grande panteão de aspectos da Deusa, o nome dela usado frequentemente como uma célula-raiz como a Mãe de todas as coisas, vistas em 9 nomes do folclore celta como na Deusa Belisana“, na bruxas Morgana e Viviana (ou Viviane), etc. Assim como na Deusa Tara e suas 27 faces hindus. Seu amigo é Nwyre, o Deus do Éter e o Espaço dos Celtas, assim como a Tara etrusca – e também existem outras semelhanças. Tana tornou-se a mãe ancestral, para ser substituída por sua “filha” Diana. Da mesma forma, os celtas tinham Tiana e Tyana / Di Ana, cujos nomes significam, respectivamente, “Ana da família” (mãe ancestral) e “Mãe de Thy”.

.

Ode Feri à Tana

Eu conjuro para abrir o poço do plasma!
E olhar para as Chamas Eternas!
Hail Tana!
Flama líquida!
Luxúria Escarlate!
Você que queima com crescimento e destruição
Na paixão da vida e da morte
Revele agora a sua grande sedução!
Nós saudamos você, IAO!

Escrito por Storm Faerywolf em 2011.

.

Parentesco

  • Consorte de Belové para os etruscos e de Tanus para a Strega e demais tradições da bruxaria

.

Deusas com aspectos semelhantes:

  • Mitologia Celta: Danu, a grande mãe
  • Mitologia Egípcia: Sekhmet, senhora do fogo, Isis, a grande mãe e Nut, a Deusa estrela
  • Mitologia Grega: Eurinome
  • Mitologia Romana: Diana, a donzela selvagem

.

Guia rápido de Correspondências:

  • Invoque Tana para: amor, criação, geração, maternidade, morte, nutrição, proteção, vigor
  • Pedras: Ágata do Fogo, Granada, Hematita, Jaspe Vermelho, Pedras vulcânicas e Rubi
  • Cores: vermelho, alaranjado, prateado, branco e preto
  • Metais: Ouro
  • Face da Deusa: todas
  • Data comemorativa: 1º de maio
  • Elemento: fogo
  • Direção: sul e centro
  • Estação do ano: Verão
  • Símbolos: estrelas, representações do céu noturno ou o universo, fogo e fogueiras.
Fontes:
http://www.feritradition.org/grimoire/lod/god_south.html
http://www.oocities.org/athens/acropolis/7159/deities.html
http://www.beliefnet.com/columnists/thequeenofmyself/2010/05/a-few-ancient-goddesses-with-four-aspects-2.html
http://draeconin.com/database/migrations.htm
https://pt.wikipedia.org/wiki/Tradi%C3%A7%C3%A3o_Aridiana
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s